Curiosidades

Câncer: Uma Outra Visão, por Dr. Victor Sorrentino

 

Dr. Victor Sorrentino*

(N.A.: Esta postagem é extensa. Entretanto, devido a elevada importância do assunto – o Câncer – tenha paciência e leia até o final. Isso pode mudar sua vida e a de seus familiares e amigos)

ACHO QUE TODOS NÓS JÁ NOS PERGUNTAMOS POR QUE, COM TANTA TECNOLOGIA HOJE, UMA DOENÇA TÃO ANTIGA COMO O CÂNCER, AINDA NÃO TEM SOLUÇÃO?

Pois é, saiba que não é só você “não médico” que se pergunta isto. Todo médico também já se fez não só uma, mas diversas vezes esta pergunta e infelizmente não temos uma resposta concreta. É realmente incompreensível, esta que é a verdade!

Todavia, existem médicos já, cientistas que estão transcendendo estes conhecimentos tradicionais que temos na medicina e buscando compreender a doença de uma forma holística, ampla. Eu acredito que a forma de fazer medicina a qual aprendemos ainda hoje nas universidades está completamente equivocada. O médico hoje sai da faculdade aprendendo a tratar sintomas, ou seja, está com febre, dá antitérmico; está com pressão alta, dá anti-hipertensivo; diabetes, dá antidiabetogênico; insônia, dá sedativos; câncer, cirurgia e quimioterapia. É simples e evidente notar que não estamos resolvendo o problema de quase ninguém, mas sim tratando sintomas e deixando muitas vezes os pacientes sendo usuários crônicos de drogas para sobreviver.

E é só estudarmos estatísticas! Notem o absurdo: estatisticamente, nos Estados Unidos, onde para uma população de cerca de 306 milhões de pessoas, temos na atualidade 116 milhões de pessoas – o que significa mais de um terço da população americana – “necessitadas” de pelo menos 6 medicamentos diariamente, só para controlar as doenças e comorbidades que chamamos inevitáveis ao processo de envelhecimento.

No ano de 2007, foram gastos exatamente 800 bilhões de dólares, só para tratar e manter estas pessoas tomando seus medicamentos sem reverter e reverter em nada seu quadro primário original da doença. Será que isso está correto mesmo? Será que viver na dependência de drogas e medicações, substâncias que originariamente são estranhas ao nosso corpo e não existem naturalmente, é essencial à vida?

Não precisa ser nenhum cientista ou especialista para enxergar isto né, são números, provas e fáceis de compreender com simples raciocínio básico.

A notícia boa é que já existe um movimento que está aumentando, de cientistas que estão buscando “por trás dos panos”, uma forma mais inteligente de ver a doença e saber tratar preventivamente e com eficácia. O lado ruim é que não existe incentivo nenhum por parte daqueles que mais gastam com “estudos” no mundo: as indústrias farmacêuticas. E também não precisa ser nenhum gênio para entender os motivos óbvios, uma vez que o maior lucro desta indústria (que considero necessária e essencial, mas para salvar vidas e tratar casos agudos, e não para o tratamento crônico em grande parte dos casos), vem da criação e venda daqueles medicamentos que torna a pessoa dependente a usar pelo resto da vida.

Vou escrever aqui, sobre o Câncer, pois sei que é uma das fontes de lucro mais abundantes destas indústrias e que o médico é completamente refém das mesmas quando se trata desta enfermidade. Sobre isto, posso assegurar que vivemos a mercê das novas descobertas medicamentosas para o “tratamento” (se é que quimioterapia pode ser considerada tratamento), pois evoluímos a passos de formigas quanto à maneira de prevenir ativamente e resolver de vez o problema.

A Causa Primária do Câncer

Vocês Sabiam que no ano de 1931 um cientista recebeu o prêmio Nobel por descobrir a CAUSA PRIMÁRIA DO CÂNCER? Mas, peraí, se a causa foi descoberta, por que ainda não descobriram a cura??? É esta reflexão que me proponho neste artigo… Foi este senhor, Otto Heinrich Warburg (1883-1970), que ganhou o Prêmio Nobel em 1931 por sua tese “A causa primária e a prevenção do câncer”.

Segundo este cientista, o câncer é a consequência de uma alimentação antifisiológica e um estilo de vida antifisiológico.

Mas, por quê? Porque uma alimentação antifisiológica – dieta baseada em alimentos acidificantes + sedentarismo, cria em nosso organismo um ambiente de ACIDEZ. A ACIDEZ por sua vez, EXPULSA o OXIGÊNIO das células. Ele afirmou: “A falta de oxigênio e a acidez são as duas caras de uma mesma moeda: quando você tem um, você tem o outro”. Ou seja, se você tem excesso de acidez, então automaticamente falta oxigênio em seu organismo! Só por este começo, sugiro que você leia meu outro artigo sobre “OZÔNIO” e entenderá porque faço em mim e em minha família…

Outra afirmação interessante: “As substâncias ácidas repelem o oxigênio; em oposto, as substâncias alcalinas atraem o oxigênio”, ou seja, um ambiente ácido, é SEMPRE um ambiente sem oxigênio. E ele afirmava que: “Privar uma célula de 35% de seu oxigênio durante 48 horas, pode convertê-la em cancerígena.”

Ainda segundo Warburg: “Todas as células normais tem como requisito absoluto o oxigênio, porém as células cancerosas podem viver sem oxigênio – uma regra sem exceção”. E também: “Os tecidos cancerosos são tecidos ácidos, enquanto que os saudáveis são tecidos alcalinos.”

Em sua obra “O metabolismo dos tumores”, Warburg demonstrou que todas as formas de câncer se caracterizam por duas condições básicas: a acidose (acidez do sangue) e a hipóxia (falta de oxigênio). Também descobriu que as células cancerosas são anaeróbias (não respiram oxigênio) e NÃO PODEM sobreviver na presença de altos níveis de oxigênio; em troca, sobrevivem graças a  GLICOSE, sempre que o ambiente está livre de oxigênio… Portanto, o câncer não seria nada mais que um mecanismo de defesa que tem certas células do organismo para continuar com vida em um ambiente ácido e carente de oxigênio.

Resumindo:

Células sadias vivem em um ambiente alcalino e oxigenado, o qual permite seu normal funcionamento; células cancerosas vivem em um ambiente extremamente ácido e carente de oxigênio.

IMPORTANTE:

Uma vez finalizado o processo da digestão, os alimentos de acordo com a qualidade de proteína, hidrato de carbono, gordura, minerais e vitaminas que fornecem, gerarão uma condição de acidez ou alcalinidade no organismo. Ou seja, esta parte depende principalmente do que você come! Mas isto é apenas o princípio de tudo, pois existe uma complexidade enorme sobre tudo que causa dano em seu organismo.

O resultado acidificante ou alcalinizante se mede através de uma escala chamada pH (Potencial Hidrogeniônico) cujos valores se encontram em um nível de 0 a 14, sendo o pH 7, um pH neutro. Aí você ainda entenderá em um arito que escreverei em breve, que até o líquido que você toma diariamente pode ser danoso e ter um pH altamente prejudicial, portanto devemos escolher inclusive a água que bebemos, é simples!

É importante saber como os alimentos ácidos e alcalinos afetam a saúde, já que para que as células funcionem de forma correta e adequada, seu pH deve ser ligeiramente alcalino. Em uma pessoa saudável, o pH do sangue se encontra entre 7,40 e 7,45. Leve em conta que se o ph sanguíneo caísse abaixo de 7, entraríamos em estado de coma, próximo a morte.

Mas então, o que temos a ver com tudo isto? Vamos ao que interessa, vou ser direto para facilitar sua vida. E se você é médico, por favor, aprenda e pratique se não em sua vida, pelo menos em seus pacientes, aconselhe todos, faça sua parte!!

Alimentos que acidificam o organismo:

Açúcar refinado e todos os seus subprodutos – o pior de tudo: não tem proteínas, nem gorduras, nem minerais, nem vitaminas, só hidrato de carbono refinado, que pressiona o pâncreas. Seu PH é 2.1, ou seja, altamente acidificante;

Carnes – todas;

Leite de vaca e todos os seus derivados – queijos, requeijão, iogurtes, etc.;

Sal refinado;

Farinha refinada e todos os seus derivados – massas, bolos, biscoitos, etc.;

Produtos de padaria – a maioria contém gordura saturada, margarina, sal, açúcar e conservantes;

Margarinas;

Refrigerantes e Sucos em caixinhas;

Cafeína – café, chás pretos, chocolate;

Álcool;

Tabaco;

Remédios, antibióticos e

# Tudo que contenha conservantes, corantes, aromatizantes, estabilizantes, etc. Enfim: todos os alimentos enlatados e industrializados.

Constantemente o sangue se encontra autorregulando-se para não cair em acidez metabólica, desta forma garantindo o bom funcionamento celular, otimizando o metabolismo. O organismo DEVERIA obter dos alimentos, as bases (minerais) para neutralizar a acidez do sangue na metabolização, porém todos os alimentos já citados contribuem muito pouco, e em contrapartida, desmineralizam o organismo (sobretudo os refinados). Há que se levar em conta que no estilo de vida moderno, estes alimentos são consumidos pelo menos 3 vezes ao dia, os 365 dias do ano!!! Curiosamente, todos estes alimentos citados, são ANTIFISIOLÓGICOS!!… Nosso organismo não foi projetado para digerir toda essa porcaria!!!

Mutilações impiedosas: até quando?

Alimentos Alcalinizantes

Todas as verduras cruas (algumas são ácidas ao paladar, porém dentro do organismo tem reação alcalinizante, outras são levemente acidificantes, porém trazem consigo as bases necessárias para seu correto equilíbrio);  cruas produzem oxigênio,cozidas não, mas por outro lado, recomendo a ingestão de verduras cozidas pelo fato de que muitas só liberam seus nutracêuticos após o cozimento. Portanto, desde que você tome as outras atitudes em relação ao seu alimento, verduras recomendo que faça ingestão cozidas!

Frutas - Por exemplo: o limão tem um pH aproximado de 2.2, extremamente ácido, porém dentro do organismo tem um efeito altamente alcalinizante (lembre-se de que o suco de limão faz bem se adoçado com Stévia, e só). São estes os detalhes de que sempre falo, não podemos como profissionais de saúde ser superficiais, pois o aprofundamento é fundamental, faz toda diferença no conhecimento.

As frutas “produzem” quantidades saudáveis de oxigênio, quando ingeridas. Não se engane com os sucos, principalmente os de caixinha, pois não trazem benefício algum à saúde e, pelo contrário, são altamente maléficos. Repito: “Quem tem sede bebe água, quem tem fome toma sucos (de preferência naturais, feitos na hora, a exceção do de laranja que é altamente maléfico infelizmente).

Sementes: além de todos os seus benefícios, são altamente alcalinizantes, como por exemplo, as amêndoas.

Cereais integrais: O único cereal integral alcalinizante é o milho, todos os demais são ligeiramente acidificantes, porém muito saudáveis! Lembre-se que nossa alimentação ideal necessita de uma porcentagem de acidez (saudável). Todos os cereais devem ser consumidos cozidos. E só para constar, não estou falando sobre estas barrinhas de cereais, que são mais uma das enganações da indústria alimentícia, e que o médico e o nutricionista acreditaram e indicam seus pacientes a utilizarem como fonte de saúde!

O mel é altamente alcalinizante.

A clorofila das plantas (de qualquer planta) é altamente alcalinizante (sobretudo a Aloe vera, mais conhecida como babosa).

# A água é importantíssima para a produção de oxigênio. “A desidratação crônica é o estressante principal do corpo e a raiz da maior parte de todas as enfermidades degenerativas”, afirma o Dr. Feydoon Batmanghelidj. O exercício moderado oxigena todo o seu organismo, o sedentarismo o desgasta.  Acontece que até quando o médico orienta seu paciente a fazer exercícios físicos, deve ponderar e estudar de que forma o exercício pode realmente estar trazendo benefícios, pois dentre muitas questões, devido à produção aumentada de radicais livres durante o exercício físico intenso, e ao desgaste metabólico que ocorre, os exercícios devem ser individualizados sempre para que possam trazer saúde.

O Doutor George W. Crile, de Cleveland, um dos cirurgiões mais importantes do mundo declara abertamente:

“Todas as mortes mal chamadas ‘naturais’, não são mais que o ponto terminal de uma saturação de ácidos no organismo.”

Como dito anteriormente, é totalmente impossível que um câncer prolifere em uma pessoa que libera seu corpo da acidez, nutrindo-se com alimentos (o que chamamos de nutracêuticos) que produzam reações metabólicas alcalinas e aumentando o consumo de água de boa qualidade e que, por sua vez, evita os alimentos que produzem acidez, e se abstém de elementos tóxicos. Em geral, o câncer não se contrai nem se herda, o que se herda são os costumes alimentícios, ambientais e o estilo de vida.  Isto sim é que produz o câncer.

Alimentos funcionais: uma boa ideia!

Agora reflita, porque em irmãos gêmeos univitelinos, muitas vezes um morrerá em decorrência do câncer e outro por outra causa? Ora, se a genética de ambos é a mesma, o que realmente influenciou sua vida foi de fato a Epigenética, e não só a genética. Como o próprio nome já diz, esta ciência estuda a interferência do meio ambiente sobre a genética, explicando o motivo pelo qual as alterações acontecem. Para as pessoas que não conheciam esta palavra, e mesmo médicos que não estão familiarizados, saibam que este é o assunto dentro da medicina mais pesquisado em todo mundo na atualidade!

Mencken escreveu:

“A luta da vida é contra a retenção de ácido”.

“O envelhecimento, a falta de energia, o stress, as dores de cabeça, enfermidades do coração, alergias, eczemas, urticária, asma, cálculos renais e arterioscleroses entre outros, não são nada mais que a acumulação de ácidos.”

O Dr. Theodore A. Baroody disse em seu livro “Alkalize or Die” (Alcalinizar ou Morrer):

“Na realidade não importa os diversos nomes de enfermidades. O que importa sim é que todas elas provêm da mesma causa básica: muito lixo ácido no corpo!” É por este motivo que já escrevi um artigo inteiro sobre a Ozonioterapia, simplesmente porque ela aumenta significativamente os níveis de Oxigênio no corpo e por isto, é uma das formas mais simples e eficazes de promover a prevenção.

O Dr. Robert O. Young disse:
“O excesso de acidificação no organismo é a causa de todas as enfermidades degenerativas. Quando se rompe o equilíbrio e o organismo começa a produzir e armazenar mais acidez e lixo tóxico do que pode eliminar, então se manifestam diversas doenças.”

"Alcalinize ou Morra": livro do Dr. T.A. Baroody, Jr.

E a quimioterapia?

Por ser um assunto muito complexo, controverso, e pelo qual tenho sérias críticas, não entrarei em detalhes, somente me limito a enfatizar o óbvio: a quimioterapia acidifica o organismo a tal extremo, que este recorre às reservas alcalinas do corpo de forma imediata para neutralizar tanta acidez, sacrificando assim bases minerais (cálcio, magnésio, potássio) depositadas nos ossos, dentes, articulações, unhas e cabelos. É por esse motivo que se observa semelhante degradação nas pessoas que recebem este tratamento, e entre tantas outras coisas, ocorre com grande velocidade a queda do cabelo.

Para o organismo não significa nada ficar sem cabelo, porém um pH ácido significaria muitas vezes a morte. É realmente um assunto delicado, pois grandes cientistas são unânimes hoje em afirmar que este tipo de abordagem já é sabidamente um erro, porém o grande problema é que não há ainda, à luz da ciência, outra forma direta para se ter como protocolo no acompanhamento do câncer.

Pois bem, não quero ser eu a fazer com que você fique com medo da situação atual da saúde, mas posso lhe dizer que, nas frases abaixo, foram retiradas de fontes médicas importantes no mundo:

“É necessário dizer que isto não é divulgado porque a indústria do câncer (leia-se indústria alimentícia + indústria farmacêutica) e a quimioterapia são alguns dos negócios mais multimilionários que existem hoje em dia??”

“É necessário dizer que a indústria farmacêutica e a indústria alimentícia são praticamente uma só entidade?? Você se dá conta do que significa isto?”

“Quanto mais gente doente, mais a indústria farmacêutica no mundo vai lucrar! E pra fabricar tanta gente doente, é necessário muito alimento lixo, como a indústria alimentícia tem produzido hoje no mundo, ou seja, um produz pra dar lucro ao outro e vice-versa, é uma corrente. Esta é uma equação bem fácil de entender, não é?”

Quantos de nós temos escutado a notícia de alguém que tem câncer e sempre alguém diz: “É… poderia acontecer com qualquer um…” Com qualquer um??

Agora que você já sabe, o que você vai fazer a respeito é realmente um problema pessoal. Procuro cumprir com meu legado de médico, de quem estuda e procura respostas e com quem se preocupa com a saúde da nossa geração e das gerações futuras. De quem não aceita hoje somente uma informação, mas busca sempre ir atrás da confirmação desta informação até que eu seja realmente convencido a respeito da veracidade da mesma criticamente.

A ignorância justifica, o saber condena

Hoje compreendo a frase tão conhecida na medicina: “Que teu alimento seja teu remédio, que teu remédio seja teu alimento”. Hipócrates (pai da medicina moderna).

* Médico formado pela Universidade Luterana do Brasil / * Pós-Graduado em Cirurgia Plástica e Reconstrutiva da Mama pela Santa Casa do Rio de Janeiro / * Pós-Graduado em Cirurgia Geral pela Santa Casa do Rio de Janeiro / * Membro da Sociedade Brasileira de Laser em Medicina e Cirurgia / * Membro da Sociedade Brasileira de Medicina e Cirurgia Plástica Estética / * Membro da Sociedade Brasileira de Geriatria Preventiva / * Membro do Colégio Brasileiro de Cirurgiões / * Membro da World Society Interdisciplinary Anti-aging Medicine / * Membro da “The International Hormone Society” / * Membro da American Academy of Anti-Aging Medicine.

Blog do Dr. Victor Sorrentino

Share

Nenhum Comentário »

Nenhum comentário ainda.

Feed RSS para comentários sobre este post. TrackBack URL

Deixe um comentário

Você precisa fazer o login para publicar um comentário.

 

Informe abaixo seus dados para receber no e-mail as atualizações e eventos.

Loading...Loading...


Consultório Dr. Carlos Bayma: Hospital Esperança - Andar G3 - Ilha do Leite - Recife - PE - Fone: 81 3131-7870

Copyright © 2011 - Dr. Carlos Bayma - Todos os direitos reservados Termos de Uso e Política de Privacidade